Como Funciona o Ciências sem Fronteiras?

Você já pensou em estudar fora do País, mas não tem dinheiro suficiente para isso? Talvez o programa Ciência sem Fronteiras, criado em 2011 pelo Governo Federal possa te ajudar.

Com iniciativa do Ministérios da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, o Ciência sem Fronteiras oferta para alunos brasileiros de graduação e pós-graduação bolsas de intercâmbio no exterior.

O programa disponibiliza bolsas somente nas áreas de ciências exatas e biológicas e tem o objetivo de gerar a internacionalização da ciência, inovação e tecnologia brasileira, além de investir nos talentos dos estudantes acadêmicos do País. Ficou interessado? Então se liga nos requisitos e garanta seu resultado no ENEM 2019, para participar.

Quais os critérios?

Os candidatos de graduação precisam estar matriculados em instituições que tenham aderido ao programa. Já para os candidatos de doutorado-sanduíche e doutorado pleno é necessário que, antes de se inscreverem no programa, sejam aceitos nas universidades estrangeiras em que pretendem estudar.

O estudante também deve estar matriculado em algum curso nas áreas prioritárias exigentes no Ciências Sem Fronteiras.

Além disso, também precisa ter completado no mínimo 20% e no máximo 90% do currículo previsto para o curso, apresentar um bom desempenho acadêmico e ter tirado no mínimo 600 pontos no Enem nos testes aplicados a partir de 2009.

Os benefícios garantidos ao bolsista são: mensalidade de bolsa, auxílio-instalação, auxílio material didático, passagens aéreas e seguro saúde. Esses quesitos variam conforme a modalidade que o candidato cursa. Caso se aplique, são acrescentados os benefícios específicos, como por exemplo, a inclusão de taxas escolares (se exigidas pela Instituição) e taxas de bancadas.

Listamos abaixo os cursos das áreas prioritárias do programa. Confira:

  • Biodiversidade e Bioprospecção;
  • Biologia, Ciências Biomédicas e da Saúde;
  • Biotecnologia;
  • Ciências do Mar;
  • Ciências Exatas e da Terra;
  • Computação e Tecnologias da Informação;
  • Energias Renováveis;
  • Engenharias e demais áreas tecnológicas;
  • Fármacos;
  • Formação de Tecnólogos;
  • Indústria Criativa (voltada a produtos e processos para desenvolvimento tecnológico e inovação);
  • Nanotecnologia e Novos Materiais;
  • Novas Tecnologias de Engenharia Construtiva;
  • Petróleo, Gás e Carvão Mineral;
  • Produção Agrícola Sustentável;
  • Tecnologia Aeroespacial;
  • Tecnologia Mineral;
  • Tecnologias de Prevenção e Mitigação de Desastres Naturais.

Como participar?

O estudante candidato precisa ficar atento às chamadas do programa. Elas são abertas e divulgadas no site do Ciências Sem Fronteiras. Também são disponibilizados os editais, que são elaborados pelo CNPq e Capes, e trazem todas as regras e requisitos detalhados, de acordo com a modalidade desejada, como por exemplo, o domínio da língua falada pelos países no qual você deseja estudar.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *